mruiandre Mário Rui André

TópicoConversas

Manifesto

O Manifesto é, em boa verdade, a melhor loja de revistas do Porto; tem revistas que mais ninguém tem ou que dificilmente se encontram noutros lados.

Sem redes durante 1 mês

Ano novo, muitos de nós aproveitamos para quebrar hábitos antigos e estabelecer novos. Cansado das redes sociais no geral e com vontade de experimentar um mês sem elas, foi isso que fiz durante Janeiro. Foram 30 dias sem Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn... 30 dias sem nada!

Uma viagem à Lisboa de 1990

Bairros Populares de Lisboa é uma série documental que descobri na RTP Memória e que é um valioso e pormenorizado registo audiovisual da capital entre os anos 1989 e 1991.

Jornalismo digital: o que correu mal

A única forma de construir um negócio próspero num espaço dominado por um agregador como o Facebook é contorná-lo, não é trabalhar com ele.

Mais uma capa sobre o Facebook

A capa da última edição da revista é sobre o Facebook e por esta razão digna de registo. É mais uma peça para o dossier de imprensa que temos vindo a construir desde o ano passado, onde já arquivámos aquela icónica capa da Wired, as peças do Guardian sobre a Cambridge Analytica ou aquela fundamental investigação do New York Times.

Ainda sou do tempo

Fui ao baú buscar esta foto. O motivo? “Ainda sou do tempo em que tecnologia não eram só telemóveis”, um artigo para o Shifter em que explico que, apesar de as novas gerações estarem a ser seduzidas por telemóveis e tablets, não aprendem como a tecnologia funciona.

Política e Europa no Shifter

Quando comecei o Shifter, a sua génese era sobretudo tecnologia e marketing – eram os temas que mais me interessavam. Mas o projecto cresceu e evoluiu de um blogue pessoal, sem editoria, para uma publicação digital que pretende reflectir os problemas sociais e globais do ponto de vista das novas gerações, que nasceram neste mundo altamente conectado.

Ouro, Incenso e Marvila

Certo é enquanto não há Hub, Marvila tenta chamar a atenção do resto da cidade e o festival que organizou no passado sábado, 12 de Janeiro, foi um convite para os lisboetas virem conhecer o bairro ou revisitá-lo.

Porque saquei Sara

Preferia um modelo em que pudesse pagar directamente aos autores e ter acesso aos conteúdos de forma fácil, quando me apetecesse. Sem depender de grelhas televisivas, de calendários de cinema ou de direitos negociados por plataformas de streaming.

DN, precisamos de falar

Certo é que a última edição, apesar de comemorativa, trouxe já algumas novidades como o fim das revistas. Tal como o Expresso, o DN passa a vir com uma só revista, igual todos os domingos.

mruiandre Mário Rui André

No Twitter

Seguir