Avançar para o conteúdo

Estrada da Luz

Falar em cidades para pessoas é falar em “re-humanizar” as cidades – em devolver às pessoas o espaço público que lhes foi retirado, fruto da febre do automóvel e de um desenvolvimento urbano à mercê de uma indústria poderosíssima (não esquecer as campanhas desta nos EUA para, por exemplo, condicionar os comportamentos dos peões na via pública – o “jay walking”).

Andar a pé na Estrada da Luz e, mais à frente, na contígua Estrada das Laranjeiras é encontrar passeios minúsculos e cheios de obstáculos ao lado de metros e metros de alcatrão, onde velocidades excessivas são constantemente praticadas. Há gradeamentos ao longo dos passeios, não vá o peão ousar pisar o espaço do automóvel. O percurso pedonal está ainda cheio de curvas – não é linear e obriga constantemente o peão contornar estacionamento, fazendo-o demorar mais tempo e aumentando o esforço físico.