mruiandre Mário Rui André

Arrábida Sem Carros

Este ano, os carros não entram na Arrábida. Acho que é uma medida exemplar do Município de Setúbal, que pode ajudar não só a preservar aquele habitat natural, como a evitar o caos provocado pelos carros.

“O acesso às praias da Arrábida, na zona de Setúbal, são um caos todos os anos, com congestionamento interminável, e crianças a caminho da praia pelo meio da estrada porque as bermas estão ocupadas com carros mal estacionados. Isto tudo por os veraneantes insistirem em irem de automóvel. É que não há espaço suficiente para ter milhares de pessoas a circular e a estacionar num veículo privado que necessita de muitos m² por pessoa. Só seria possível construindo uma via-rápida e enormes parque de estacionamento ao longo da lindíssima costa da Arrábida… ou seja, destruindo-a.”

Blogue Menos Um Carro
Uma foto tirada na Arrábida em 2015

A uns 30 km de Lisboa, a Serra da Arrábida é um tesouro que descobri durante vários passeios de bicicleta – sim, é fixe visitá-la desta forma e existem muitos percursos de terra batida, outros de estrada. A Câmara parece que vai agora criar uma ciclovia ao longo da nacional que atravessa a Serra, o que podem ser boas notícias, por exemplo, para chegar às praias.

Bem vi as filas de carros que se formavam naquela nacional ao final do dia, quando a malta começava a sair da praia, e que de bicicleta (ou de mota) facilmente se ultrapassava. A poluição, o ruído, o stress e o congestionamento que podia dificultar os acessos às praias em caso de emergência.

mruiandre Mário Rui André

No Twitter

Seguir