mruiandre Mário Rui André

Porque é tão difícil sair?

Há dias, antes de ir de férias, pensei em fazer uma pausa nas redes sociais. Uma pausa a sério: desactivar as minhas contas de Facebook, Twitter e Instagram. Acabei por voltar a activá-las pouco tempo depois – é que, sem Facebook, publicações importantes que tinha feito em grupos desapareceram e foi chato –, mas a curta experiência foi na mesma interessante.

Assusta-me a forma como estes serviços digitais tornam o mais difícil possível sair ou fazer uma simples pausa, principalmente o Facebook.

No Twitter, o processo de desactivar a conta é relativamente simples: basta clicar num botão e em instantes a conta desaparece. Há apenas a saber que, se não voltarmos a fazer login nos próximos 30 dias, a conta será eliminada permanentemente. Não deixo de notar que para reactivar a conta basta fazer login de novo – não há qualquer janela a confirmar que queremos mesmo reactivar ou um link meio escondido.

No Instagram (que pertence ao Facebook), é tudo muito semelhante. Só nos é pedido para indicar um motivo pelo qual queremos desactivar a conta e confirmar a palavra-passe. Para reactivar, basta fazer login. Nada de muito complicado, portanto.

Já o Facebook complica tudo. A rede social faz questão de nos mostrar 5 amigos – muito mal escolhidos, diga-se – que vão sentir a nossa falta. Depois pede-nos para indicarmos um motivo e, seja a resposta que dermos, vai tentar sempre dissuadir-nos da desactivação de conta. Por exemplo, se escolhermos “This is temporary. I’ll be back”, perguntar-nos-á porque é que não fazemos antes logout numa janela irritante que, se fecharmos, nos vai dar outra opção: a de reactivar automaticamente a conta ao fim de… 7 dias… no máximo!

Sim, dá para escolher 1 ou 2 dias, mas o máximo de tempo que o Facebook nos deixa estar fora do Facebook é uma semana. Pelo sim, pelo não, o melhor é escolher “Other” e escrever qualquer coisa.

Depois é só indicar que não queremos receber mais e-mails do Facebook e clicar no botão “Desactivate” e, sim, confirmar que é mesmo isso que queremos com um novo botão, “Desactivate Now”.

Mesmo com o Facebook desactivado, continuamos com o Messenger activo. Para removê-lo também é preciso ir à aplicação e desactivar essa conta – a opção não está nada visível; por isso, o melhor é googlar como se faz. Curiosamente, para voltar ao Facebook ou ao Messenger, basta fazer login de novo numa das apps, apesar do processo super burocrático que é sair.

Sair de uma rede social ou de um serviço online não deveria ser um processo tão complicado como é tantas vezes. Todos temos o direito, enquanto utilizadores e enquanto pessoas/seres humanos, a dizer que não. Todos temos o direito também a fazer uma pausa, seja por motivo for. As pausas são boas e uma pausa da internet deveria ser bem mais fácil do que realmente é.

mruiandre Mário Rui André

Mário Rui André

Co-Fundador e Director Operacional do Shifter